Andres Landero, para entender a vanguarda colombiana



11 Janeiro 2017

poer Fernando Rosa

O selo Munster-Vampisoul, Mario Galeano - Los Pirañas, Frente Cumbiero, Ondatropica - e Don Alirio se uniram para produzir um belo tributo ao "maestro" Andrés Landero, "el Rey de la Cumbia y Rey Vitalicio del Festival Vallenato". Duplo, "Yo Amaneci" reúne faixas de 1966 a 1982, extraídos de seus álbuns lançados por Discos Fuentes e outros selos. Andrés Gregorio Landero Guerra, nasceu em San Jacinto, Colômbia, em 1931, e tornou-se uma referência evolutiva da música colombiana. Tendo a gaita como principal instrumento, o vallenato é um gênero musical da Costa do Caribe colombiano.

O segredo da atualidade de Andrés Landero é sua própria trajetória como "autor de um florescimento polifônica cujas batidas ainda soam frescas", segundo Dom Alirio, autor das notas do álbum. Trata-se de uma figura de destaque através através da qual se pode perceber o sincretismo da música de escravos indígenas e africanos da costa das Caraíbas, ou seja, a cumbia. Ainda de acordo com Dom Alirio, "ele procurava constantemente criar sua própria linguagem enquanto permanecia agudamente vivo à tradição", postura estética e criativa que inspira e ajuda a explicar a atual música colombiana de vanguarda.

"Nenhum dos discos lançados durante a carreira de Andrés Landero é ruim, medíocre ou dispensável", diz Carlos Mario Mojica (Don Alirio) na apresentação da seleção lançada pela Vampisoul. "Seus esforços coerentes e constantes para construir sobre as fundações da tradição cumbia formar um legado extraordinário rica em obras-primas da música popular colombiana". "Dezesseis anos depois de sua morte, ele continua a ser o cume criativo de uma comitiva de nomes associados à música popular dos trópicos", completa. Andrés Landero começou sua carreira musical com Discos Curro, sob o sub-selo Costeño, da Discos Fuentes, em Cartagena.

Veja mais: https://goo.gl/aqBseJ
 






POSTADO EM: /Matéria