Doo Wop, a força vocal da música negra



13 Agosto 2017

por Fernando Rosa

O Doo Wop nasceu como uma espécie de adaptação da tradição vocal negra americana ao nascente rock and roll, inicialmente circunscrito ao universo de consumo racial e praticamente restrito aos Estados Unidos. O gênero entrou em cena no final de 1949, com a presença do grupo The Orioles nas paradas das "Race Records" (de música negra) com Crying In The Chapel.

Os primeiros grupos que gravaram, além dos Orioles, foram The Dridles, The Crows, The Crew Cuts e The Chords - que fez sucesso com Sh-Boom, entre outros. Mas, dentre todos, o grupo que fez mais sucesso foi The Platters que, com a clássica e mega-hit Only You, conseguiu levar o gênero para o resto do mundo, ainda que sem a necessária identificação.

O número de grupos em atividade nos Estados Unidos, em meados dos anos cinqüenta, chegou a cerca de 5 mil, dentre os quais destacaram-se uma série de estrelas como The Heartbeats, The Marcels - com Blue Moon, The Moonglow's - com Sincerely, The Cleftones, The Cadillacs - com Gloria, e Frankie Lymon & The Teenagers - com The ABC of Love, entre outros.

Além dos grupos negros, também os grupos brancos tiveram participação e destaque no desenvolvimento do gênero, sendo o mais importante deles Dion & The Belmonts (The Wanderer/Lobo Mau), secundado pelo The Skyliners - de quem o grupo Guns & Roses regravou Since I Don't Have You.

Fora dos Estados Unidos, o Doo Wop não contou com grandes simpatias, apesar do esforço de determinados artistas locais, talvez pela sua raiz essencialmente negra e tipicamente americana. Em Liverpool, por exemplo, no início dos anos sessenta, haviam alguns poucos grupos de Doo Wop, como o The Chants que vez por outra é lembrado nas coletâneas de merseybeat.

No Brasil, entre outros, destacou-se o grupo The Snakes, liderado pelo futuro Tremendão da Jovem Guarda, Erasmo Carlos, que lançou seu único disco em 1961, contendo um cover para Sh-Boom. Alguns grupos da Jovem Guarda, como Os Iguais, entre outros, utilizaram-se das harmonias vocais típicas do gênero.

Cultuado ao longo das décadas seguintes, o doo wop conquistou adeptos que incorporaram o gênero ao seu estilo, como The Beach Boys, Mud (da fase glam rock) e The Rubinoos (anos oitenta) e bandas atuais mais atuais Wondermints, Birdwatchers ou Linus of Hollywood (anos noventa).

Mais identificados, o americano The Manhattam Transfer tratou de perpetuar a escola tradicional, enquanto na Alemanha, o grupo jovem e branco The Chaperals produziu em 1991 o disco Another Show, um ótimo revival do gênero.



Foto: The Heartbeats

 






POSTADO EM: /Matéria