Niño de Elche / Antología del Cante Flamenco Heterodoxo



25 Dezembro 2018

por Fernando Rosa

O flamenco apresenta surpresas a cada geração, ou seja, novos criadores e intérpretes geniais. Assim foram Camaron de la Isla, Enrique Morente, em suas respectivas épocas. Agora, o grande nome da vez é Niño de Elche, um granadino nascido em Elche. Atualmente, é reconhecido como um dos mais importantes renovadores do flamenco. Seu próximo disco será produzido pelo colombiano Éblis Álvares, de los Pirañas e Meridian Brothers.

A audição de seus discos remete para além dos limites do gênero. "Voces del Extremo", considerado um dos melhores discos de 2015, é um mix de flamenco com eletrônica e krautrock. Em outro, "Sí, a Miguel Hernández", canta temas do clássico poeta espanhol perseguido pela ditadura de Franco. A política, por outro lado, está sempre presente em suas obras.

Em "Antología del Cante Flamenco Heterodoxo", Niño de Elche reverencia autores (e temas), como diz o título, pouco ortodoxos. Um álbum duplo em cd, e triplo em vinil, a obra traz vinte e sete temas apaixonantes, capazes de prender a atenção de qualquer pessoa. É mais do que apenas música, é crônica social e política, história do flamenco e da Espanha, como flashes de um filme.
 



"Un proceso archivístico que comenzó como un encargo y que derivó en 27 temas por los que desfilan San Juan de la Cruz, Machado, Juli Vallmitjana, Val del Omar, Giménez Caballero, Federico Chueca, Manolo Caracol, Mikel Laboa, Pepe Marchena, Luigi Nono, Shostakóvich, Tim Buck­ley, Falla o Lola Flores", destacou o jornal El País.

Também alvo das críticas dos conservadores, chegou a pensar em batizar o disco com o nome de "Flamenco ‘traicional’". Segundo ele, "muchos, sin escucharlo, dicen que es una provocación mía más. Otros, que he vuelto a mis raíces… Este disco da de hostias a todos: a los puristas y a quienes defienden que tradición y vanguardia van de la mano. Son igual de reaccionarios" diz o autor também no jornal El País.

Discografia

Mis primeros llantos (2007)
Sí, a Miguel Hernández (2013)
Voces del extremo (2015)
Calle de Arriba, 73 (2015)
Antología del cante flamenco heterodoxo (2018)







 






POSTADO EM: /Resenha