Estúdio da Gravasom, a máquina da lambada



30 Dezembro 2018

por Fernando Rosa

O grupo de estúdio da gravadora Gravasom foi uma espécie de Wrecking Crew do Norte do Brasil, em especial a partir de meados dos anos oitenta. Liderado pelo arranjador, produtor, tecladista e guitarrista Manoel Cordeiro, o grupo contava com o guitarrista Barata, o baixista Neca e os bateristas Junior e Sagica, além de um grupo de vocalistas.

The Wrecking Crew foi um coletivo de músicos de estúdio de Los Angeles que participou de milhares de gravações dos mais diferentes artistas, entre os anos sessenta e setenta. Com uma história parecida, o grupo de Manoel Cordeiro chegou a gravar seis discos por semana, até o final dos anos oitenta, segundo ele. No final dos anos oitenta, o time de músicos se transforma no grupo Warilou, um dos mais importantes da história da música paraense.

A história começa com o convite para montar uma banda de estúdio, feito por Alípio Martins, cantor, compositor e produtor da Gravasom. Quando a versão de "Quero você" estourou "gerou-se a cultura de gravar em Belém com músicos paraenses", diz Manoel Cordeiro, em entrevista para a revista Seleta - Música da Amazônia.

Uma breve pesquisa nas contracapas dos discos gravados nessa época comprova a afirmação. O grupo está presente na maioria dos registros, excetuando praticamente apenas os discos de guitarristas de lambada que tinham seus próprios grupos. Cantores, guitarristas, saxofonistas e cavaquinistas da Amazônia têm pelo menos um de seus discos com a participação do grupo.

No início dos anos oitenta, a Gravasom já contava com um grupo estúdio formado por músicos da banda de Pinduca. Além do grupo de Manoel Cordeiro, outros grupos atuavam no estúdio da Gravasom. Segundo Manoel, havia o grupo de Guru, também guitarrista, chamado Trânsito Livre, e a equipe de Dedê que gravava brega regional.

"O Carlos Santos montou um esquema muito interessante. Ele tinha o estúdio para gravar, a rádio para tocar, a distribuidora para colocar os discos nas lojas e a rede de lojas para vender os discos", diz Manoel, também na revista Seleta. A partir do estúdio, e da popularização do vinil nos anos oitenta, a Gravasom construiu um mercado regional dos mais importantes da história da música brasileira.

 






POSTADO EM: /OndasTropicais