Disque Debs, a casa da revolução do cadence



27 Fevereiro 2020

por Fernando Rosa

A gravadora Disques Debs International nasceu em Guadalupe nos anos setenta produzindo vários artistas locais. No comando da gravadora estava o músico e produtor Henri Debs, de origem libanesa. Ao longo dos anos, Debs se torna um dos maiores produtores da música caribenha, de acordo com Philippe Pilotin, autor de texto sobre ele. Um pouco da história da gravadora pode ser ouvida nas coletâneas lançadas pelo selo Strut Records, abaixo (ou no Youtube).

A gravadora de Debs é a matriz do cadence-lypso, gênero originário de Dominique, que revolucionou a música da região. Nos anos setenta, a Disques Debs lançou grupos clássicos como Exile One, Expérience 7,  Les Aiglons, Le Ry-Co Jazz, Les Maxel's, Midnight Groovers e Zouk Machine, entre outros. A gravadora ainda projetou nomes como Erick Brouta, Francky Vincent e Tanya Saint-Val. Debs também gravou discos solo e em dupla com Max Sevérin.

A gravadora nasceu em um estúdio nos fundos da loja de discos de Henri Debs, em Guadalupe - ele teve mais duas, na Martinica e em Paris. Em 50 anos, a Disques Debs produziu um catálogo de mais de 200 LPs e 300 compactos. Além de clássicos do cadence-lypso, Debs gravou vários gêneros locais e da região que, ao final, explodiu no zouk e artistas de sucesso internacional, como a banda Zouk Machine. Debs morreu em 2014, aos 81 anos.





Foto (Strut Records): Henri Debs e seu irmão Philippe nos estúdios da gravadora.






POSTADO EM: /GRANDE CARIBE