Do Haiti, Tabou Combo, embaixadores do konpa



07 Março 2020

por Fernando Rosa

A música do Haiti é uma das principais fontes da explosão do cadence-lypso caribenho nos anos setenta e oitenta. Junto com o calypso de Trinidad Tobago, a mistura incorporou o kadans (cadence) e o konpa (compas), a música nacional do Haiti. Fundado em 1968, em Petion-Ville, nos arredores de Port-au-Prince, o grupo Tabou Combo é o "embaixador do konpa". Albert Chancy, Herman Nau e amigos adolescentes, a quem se somou Jean-Claude Jean, deram a partida na história,

O grupo surgiu como "Los Incognitos", trocando o nome para Tabou Combo, em 1969. Em 1971, o grupo de apresentações no Haiti e na região, o grupo se estabelece em Nova York, abrindo o caminho transformar sua música regional em fenômeno internacional. Desde então, gravaram vários discos e conquistaram público em todo o mundo. Nos anos oitenta, chegaram ao Norte do Brasil, especialmente em Belém, junto a outros grupos de cadence.

A música do Tabou Combo é um coquetel de ritmos que inclui a tradicional música do Haiti, merengue dominicano, tambores afro, música brasileira e funk a la James Brown. As canções cantadas em inglês, espanhol, francês ou na língua nativa facilitou a comunicação. A música "New York City", lançada em 1974, projetou o grupo nas paradas musicais. Os discos subsequentes confirmaram o sucesso, com músicas incluídas em trilhas de filmes e regravadas por artistas como Carlos Santana.



Além do ritmo contagiante, as letras do Tabou Combo assumiram a defesa da população negra contra a opressão e por seus direitos econômicos e sociais. Entre várias ações, criaram a associação “Manger, lire et espérer” (Eat, Read e Hope) para ajudar a combater os principais problemas do Haiti, em especial a fome e o analfabetismo. Ainda hoje grupo mais famoso do Haiti, Tabou Combo se mantém em atividade até os dias atuais.






POSTADO EM: /GRANDE CARIBE