Gramacks, a síntese da música caribenha



05 Abril 2020

por Fernando Rosa

Ao lado do Exile One, Gramacks foi um dos mais importantes grupos da música caribenha, mais exatamente do cadence-lypso. A banda é oriunda de Saint-Joseph, um vilarejo de Dominique, formada por alunos da Dominica Grammar School, o que explica o nome, e da St Mary's Academy. Na origem, estavam à frente do grupo o vocalista Jefferson "Jeff" Joseph e o tecladista McDonald "Markie" Prosper.

O disco de estreia - Tonton Bichot - foi lançado em 1974, pelo selo 3A Production, um dos mais importantes da época. Com vários discos gravados, Gramacks inspirou a geração dos anos oitenta, em especial grupos como Kassav, um dos expoentes do zouk. Gramacks também introduziu o uso destacado dos teclados e sinterizadores na música caribenha.

As apresentações explosivas de Jeff Joseph foram, em boa parte, responsáveis pelo sucesso do grupo. Além disso, Joseph sintetizou a identidade musical caribenha reunindo em sua música o calypso, o reggae e, especial o compas, de origem haitiana. Joseph também prestigiou a música local gravando vários de seus discos no estúdio Debs, com sede em Dominique. 

No Brasil, o grupo Gramacks chegou a Norte do Brasil, especialmente ao Pará, a extensão brasileira do grande Caribe. Em 1989, o selo Sigem lançou coletânea assinada por Jeff Joseph & The Gramacks. O disco "Ka Allez Haut", lançado em 1980 pelo selo 3A Production, entre outros, circulou pelas festas de Belém. 






POSTADO EM: /GRANDE CARIBE