The Flashcubes, gemas do power pop setentista



31 Julho 2019

por Fernando Rosa

Os anos noventa não foram apenas distorção pós-grunge ou alt country pré-Wilco & indies em geral. Ao lado dessas orientações principais, também imperou uma cena power pop que produziu obscuras, mas ótimas, bandas. Nessa mesma onda, selos tão ou mais obscuros, aproveitaram para resgatar bandas ignoradas nas décadas anteriores.

Uma dessas bandas se chama The Flashcubes, formada nos anos setenta na cidade-dormitório Syracuse, Nova York. Inspirados em Beatles, Kinks, Hollies e Who, principalmente, produziram uma leva de ótimas canções pop. A audição de suas principais canções também remete para os contemporâneos Raspberries, mais diretamente, e um pouco menos, os clássicos Big Star.

O disco Bright Lights – An Anthology 1977 – 1980, editado em 1997, condensa 21 dessas gemas movidas à guitarras e vocais sixties. No disco, estão clássicos como Christi Girl, o primeiro single da banda, e outros hits como It’s You Tonight e No Promise. The Flashcubes eram Gary Frenay, Arty Lenin, Tommy Allen e Paul Armstrong.



 


 






POSTADO EM: /Resenha