Billy Bond, derrubando fronteiras nos anos setenta



27 Julho 2013

por Fernando Rosa / Litto Arbex

O argentino Billy Bond veio para o Brasil em meados dos anos setenta. Aqui, gravou e produziu discos solo, com o Joelho de Porco e outros músicos e, de quebra, deixou uma das maiores raridades da história do rock brasileiro: um álbum duplo com versões para músicas dos Beatles, em parceria com o guitarrista Wander Taffo, assinado com o nome de The Beetles Group e distribuído pelo Círculo do Livro.

Mas, para Billy Bond isso é apenas um pequeno detalhe de sua vida artística, iniciada de forma brilhante na Argentina, nos anos sessenta. Lá, ele liderou uma das bandas mais emblemáticas do rock argentino, Billy Bond y La Pesada, com quem gravou quatro discos, entre 1971 e 1973. Além disso, ele foi um dos fundadores e donos do lendário La Cueva, espécie de Cavern de Buenos Aires, por onde passou a maioria dos grupos de rock dos anos sessenta.

Em meados dos anos setenta, Billy Bond passa a viver no Brasil, onde produz o primeiro disco do ex-Secos & Molhados Ney Matogrosso. Na mesma época, também integra o grupo paulistano Joelho de Porco. Também gravou uma versão do clássico La Bíblia (de Vox Dei) com músicos brasileiros, e produz o disco de estréia de Serú Giran. Em 1978, lança o disco solo Billy Bond & The Jets, com participação de Charly García, Pedro Aznar, David Lebón e Oscar Moro, o futuro Seru Giran. No Brasil, ainda gravou um raríssimo disco-tributo aos Beatles e, poteriormente, tornou-se um renomado produtor teatral e de peças infantis.

O disco-tributo aos Beatles, lançado pelo selo Abertura Records (!), em 1979, trazia “as músicas da peça Beatlemania”, conforme anúncio na capa do LP. Na capa e nas capas internas, fotos dos Beatles e textos sacados de publicações da época. Na contra-capa, maçãs meio passadas e os músicos em cima ou ao lado delas, além do crédito da “musical production” para Billy Bond. Ao todo, o disco contém 24 covers para os principais clássicos da primeira fase dos Beatles.

Junto aos covers para clássicos como ‘She Loves You’, ‘Day Tripper’ e ‘Michele’, uma surpresa, não creditada na capa do disco: uma canção de autoria do grupo – ‘For Ever Beatles’, assinada por “Anthony, Billy, Wanderley Patry e Moris”. Moris, também argentino, foi um dos principais compositores, cantores e letristas do rock argentino dos anos sessenta. Outra curiosidade é a inclusão no repertório da música ‘I Should Have Know Better’, certamente por conta do sucesso de sua versão nacional – ‘Menina Linda’, com Renato e Seus Blue Caps.

Billy Bond é também responsável por um dos fatos extra-música (nem tanto) mais marcantes da história do rock argentino. Em outubro de 1972, em um festival no Luna Park, antes do show de La Pesada, ele “convocou” o público a pular do espaço “mais barato” para a área reservada, que estava vazia. Quando o pau começou a quebrar entre público e polícia, Bond atiçou o fogo com a clássica frase: “Rompan todo” (‘Break It All’, título do principal hit dos uruguaios Los Shakers, em meados dos anos sessenta).

Discografia

Billy Bond y la Pesada del Rock and Roll (1971)
Billy Bond y la Pesada del Rock and Roll, Vol. 2 (1972)
Tontos (Operita) (1972)
Billy Bond y la Pesada del Rock and Roll, Vol. 4 (1973)
Joelho de Porco - São Paulo 1554 Hoje (1976)
Joelho de Porco - Joelho De Porco (1978)
Billy Bond and the Jets
Billy Bond & The Jets (1979)
Billy Bond - Yo, Billy Bond (1968)
Billy Bond - Las dos caras de Billy Bond(1969)
Billy Bond - O Herói (1979)
Billy Bond - Quiénes son ellos ("E Quem Sâo Eles" no Brasil) (1982)
Billy Bond - Yo me amo (1992)










POSTADO EM: /Arquivo Senhor F