O DNA da psicodelia



15 Setembro 2019

por Fernando Rosa

A psicodelia, ao contrário do que muita gente pensa, não nasceu em São Francisco, na Califórnia, Estados Unidos, ou em Londres, na Inglaterra. Não foram bandas como Grateful Dead ou Pink Floyd que injetaram as primeiras doses de LSD no merseybeat e seus derivados. A banda que, se não inventou o gênero, foi a primeira a executá-lo de forma mais explícita surgiu no Texas, mais exatamente em Austin. E a primeira, também, a batizar seu som com a expressão psicodélico.

Liderada por Roky Erickson, a banda texana The 13th Floor Elevators condensa o DNA original da psicodelia em seus três únicos álbuns de estúdio. Ou, principalmente, no primeiro deles, lançado em 1966, e batizado com o sugestivo nome de The Psychedelic Sounds of The 13th Floor Elevators. Em músicas como Roller Coasters, Reverberation, Tried do To Hide, Monkey Island ou Fire Engine estão os primeiros sinais da explosão colorida que viria.

Mas, a verdadeira mãe de todas as canções psicodélicas futuras é a música You’re a Gonna Miss Me, que abre o mesmo disco. A música pertencia ao repertório do grupo anterior de Erickson, The Spades, e já havia sido gravada um ano antes, em 1965. Com o 13th Floor Elevators, a música ganhou nova versão e tornou-se uma espécie de arquétipo de tudo que se produziu posteriormente. De Pink Floyd aos Rolling Stones, passando pelas futuras gerações, todos beberam nos acordes surpreendentes dos texanos.

A importância da banda, sem reduzi-la a isso, pode ser medida pelo destaque atribuído a You’re Gonna Miss Me ao longo da história do rock. Ela integra a coletânea Nuggets, produzida por Lenny Kaye, lançada originalmente em vinil em 1972, e continua presente na versão digital. Também abre a trilha sonora do filme Alta Fidelidade, espécie de registro da importância do rock na vida da juventude moderna. Nos anos 80 e 90, a música ganhou diversas releituras, a mais interessante delas feita pelo grupo sueco de garagem, Nomads.

A banda 13th Floor Elevators surgiu no final de 1965, formada por Tommy Hall, um estudante de filosofia da Universidade do Texas, localizada em Austin. A ele, agregaram-se, inicialmente, ex-integrantes do grupo The Lingsmen, de Port Arthur – o guitarrista Stacy Sutherland, o baixista Benny Thurman e o baterista John Ike Walton. Em seguida, soma-se à banda o cantor e compositor Roky Erickson, oriundo do grupo The Spades, então com 17 anos. Também integraram a banda os baixistas Ronnie Leatherman e Dan Galindo e o baterista Danny Thomas.

Influenciados pelo blues, pelo soul e pelo boogie, o quinteto construiu seu som característico à partir das bases negras e das novas possibilidades musicais abertas pela invasão inglesa. A essa base sólida, o grupo aliou guitarras geniais, letras cósmicas e inspiradas em clássicos, de Nistzche à Bob Dylan, e a presença de um raro instrumento, o jug – elétrico -, com um som repetitivo e hipnótico. Além, é claro, de apresentações ao vivo regadas a longas jams, imagens coloridas e outros elementos, digamos, químicos.

Na discografia oficial da banda constam apenas quatro álbuns, dos quais três gravados em estúdio e um ao vivo – The Psychedelic Sounds of ..., Easter Everywhere, Bull Of The Woods e Live – todos sem reedições de qualidade, até este ano. O primeiro ganhou recente reedição do selo Varese Sarabande Records, remasterizado e com direito a quatro bônus – Gloria (Them), You Really Got Me (Kinks), Everybody Needs Somebody To Love (Solomon Burke) e You’re Gonna Miss Me. Os quatro álbuns também foram reeditados conjuntamente em uma caixa pelo selo Collectables.

A discografia reduzida da banda deve-se à curta existência do 13th Floor Elevators, praticamente extinto em 1967, com a prisão de Roky Erickson, por posse de maconha. Segundo conta a história, seguindo conselhos de seu advogado, Erickson declarou-se insano para escapar da detenção, o que lhe custou três anos no Rusk State Hospital e brutais sessões de choque elétrico. Espécie de Syd Barret do outro lado do Atlântico, sua genialidade sobrevivente ainda produziu um livro de poesia, logo após a saída do sanatório, e ótimos álbuns, a partir dos anos oitenta, com seu grupo Roky Erickson & The Aliens.

O mesmo selo Varese também acaba de lançar a primeira coletânea oficial do grupo, chamada Absolutely The Best, contendo 20 clássicos, retirados de todos os discos. Além desta coletânea, ainda existem alguns CDs que trazem raridades, lados ‘b’ e faixas alternativas, com destaque para The Best Of ... Manicure Your Mind e Up On The 13th Floor. Para os fãs mais persistentes, existe ainda uma lista muito grande de discos, em vinil e cd, com gravações alternativas e registros ao vivo.

Em 1990, o álbum Where the Pyramid Meets the Eye: A Tribute to Roky Erickson, rendeu a merecida reverência ao grupo e ao seu principal compositor. Lançado pelo selo Producer/Performer, o CD traz ZZ Top, Jesus and Mary Chain, Julian Cope, John Wesley Harding, Primal Scream e Buthole Surfers, entre outros, interpretando os clássicos da banda. Atualmente fora de catálogo, o álbum é um bom complemento para acompanhar os discos originais, clássicos que ainda aguardam o merecido reconhecimento.


 






POSTADO EM: /Matéria