Festival El Mapa de Todos homenageia Victor Jara



10 Novembro 2013

da Redação

O nome do cantor e compositor chileno Victor Jara batizará um dos palcos do festival El Mapa de Todos - na quinta-feira, 28 de novembro, segundo informaram os jornais Zero Hora e Jornal do Comércio, de Porto Alegre. Segundo a organização do festival, a iniciativa é uma homenagem ao cantor e compositor chileno assassinado a tiros no dia 16 de setembro no Estádio do Chile, logo após o golpe militar de 11 de setembro de 1973, comandado pelo general Augusto Pinochet. “Lembrar de Victor Jara, quarenta anos após sua morte, é fazer justiça a sua memória, mas também a todos que deram a vida para conquistar a democracia no continente sul-americano”, diz Fernando Rosa, curador do festival El Mapa de Todos.

Em sua curta carreira, o músico gravou oito discos e lançou mais três ao vivo, incluindo hinos que se espalharam pela América Latina, como Te Recuerdo Amanda, Manifiesto e A Desalambrar, original do uruguaio Daniel Viglietti, também autor da música Milonga de Andar Lejos, fonte da expressão “El Mapa de Todos”, que batiza o festival. Rcentemente, Victor Jara também foi lembrado pelo músico americano Bruce Springsteen durante seu show em Santiago do Chile. O portal Senhor F também publicou matéria sobre os 40 anos de sua morte.

Victor Jara nasceu em Santiago, onde cresceu, estudou e tornou-se professor, diretor de teatro, poeta, cantor, compositor, músico e ativista político. Sua carreira musical vinculou-se ao movimento Nueva Canción Chilena, que revolucionou a música popular do país durante o governo de Salvador Allende. O brutal assassinato de Jara, então militante do Partido Comunista chileno, somente foi reconhecido pelo Estado chileno em 1990, por meio da Comissão da Verdade e da Reconciliação.

O crime aconteceu no Estádio do Chile que servia de prisão para milhares de militantes, segundo lembrou Paulo Kautscher, em texto publicado no Luis Nassif on Line. No texto, Kautsher destaca trechos de No Olho do Furacão, do jornalista brasileiro Paulo Cannabrava, a partir de relatos de quem esteve lá, segundo ele. O Estádio do Chile havia sido transformado em campo de concentração da ditadura que, depois de assassinar o presidente Salvador Allende, assaltou o poder.



Mini documentário sobre Victor Jara









 






POSTADO EM: /Festival /4ª edição