Credence Clearwater Revival / Cosmo's Factory



14 Julho 2018

por Fernando Rosa

No final dos anos sessenta, talvez somente eles rivalizassem com os Beatles, especialmente na guerra dos "singles". John Fogerty era um sujeito tão genial, criativo e profícuo quanto os quatro cabeludos juntos. Ok, pode ser um certo exagero, mas naquele momento não era tanto assim. Enquanto os Beatles fechavam o baú coletivo, o grupo Credence Clearwater Revival gravava um disco atrás do outro. E todos ótimos: Bayou Country (janeiro de 1969) , Green River (agosto de 1969), Willy and The Poor Boys (novembro de 1969) …

O disco seguinte, Cosmo's Factory, gravado em julho de 1970, pode não ser o mais citado ou importante, mas talvez seja o mais emblemático da carreira da banda. Nele estão todas as influências do quarteto formado por John Fogerty (guitarra), Tom Fogerty (guitarra), Stu Cook (baixo) e Doug Clifford (bateria). O rockabilly, com timbres secos e diretos a la Sun Records, o rhythm’n’blues de John Lee Hooker & Bo Diddley e o country. Sem, ou com muito pouca, presença da psicodelia que, naquele momento, já empastelava o rock no rumo do progressivo setentista.

Isso tudo com uma elegante "cara" pop que fazia com seus discos e sua música chegasse até as rádios mais populares e às festinhas mais inocentes do planeta. Aqui estão clássicos como Travelin’ Band (utilizada na trilha do O homem que copiava, de Jorge Furtado), Up around the bend e o mega-hit Who'll stop de rain. E também faixas, digamos, experimentais, como a longa versão para I heard ir through the grapevine e Ramble Tamble que abre o disco, com seus 7 minutos.

Talvez o enorme sucesso junto a praticamente todas as faixas de público tenha feito com que a banda, em geral, seja um pouco relegada na história do rock universal. Nada mais injusto com uma banda a quem, a bem da verdade, pode ser creditado a "invenção" do psychobilly antes dos Cramps, do alt-country antes dos anos noventa e o lofi antes de todo mundo. Este disco pode ser um bom começo, com sua capa "nada a ver" com sua época, com os caras jogados no estúdio e um deles andando de bicicleta.






POSTADO EM: /Resenha