Vieja Skina traz ska clássico para o El Mapa de Todos



11 Outubro 2015

da Redação

Em sua biografia oficial, a banda apresenta-se como "una banda de Ska Tradicional". Dizem eles: "rescatamos los sonidos primigenios que dieron alcance mundial al género; bandas como The Skatalites, Byron Lee and the Dragonaires, The Specials o intérpretes como Laurel Aitken, Prince Buster o Doreen Shaffer, los cuales forman parte de nuestras influencias musicales al momento de componer nuestras canciones". Uma verdade que pode ser conferida na audição de seus dois discos, que postamos na integra, abaixo. Um deles, o segundo, materizado por Victor Rice, em São Paulo.

Vieja Skina surgiu em 2007, com uma orientação um pouco diferente, mais voltada para a fusão do ska com o reggae, abandonada com a entrada de novos integrantes. Os novatos despertaram a banda para a sonoridade tradicional, para o ska clássico, que acabou abrindo as portas para a banda além das fronteiras do país. Nestes dias pré-El Mapa de Todos, Vieja Skina realiza sua segunda turnê no México, onde divide o palco do Pepsi Ska Festival com bandas como Maldita Vecindad e Desorden Publico, entre outros monstros latinos do gênero.

Considerada a primeira banda de ska do Peru, Vieja Skina é formada por Daniel Ciudad (bateria) Ronaldo Moreno-Aramburú (baixo) Julio Mejía (guitarra) Ricardo Canales (teclado) Flavio Maza (sax tenor) Edgar Álvarez (sax alto) Edgardo e Giacomo Novella (trombone), A banda já compartilhou palcos com The Skatalites, Doreen Shaffer, Groundation, Pato Banton, Michael Rose ex (Black Uhuru) e Mighty Diamonds, entre outros nomes da cena local peruana.








POSTADO EM: /Festival /6ª edição